terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Carta de um coração partido



Hoje eu quero falar sobre dor, aliás, dor, saudade e um coração partido. Um coração partido é banalizado, como as pessoas falam que "cachaça cura tudo", e como é simples aos olhos que nos cercam, ser curado por algo que não nos pertence mais. "Vai curtir a noite, a vida, que isso passa", como se as noites, as festas e pessoas não estivessem tão vazias quanto eu. Sabe, a essa altura eu até queria banalizar a minha dor, e sorrir como se fosse uma piada sem graça e que no fundo faço um esforço para sorrir mesmo assim, mais é uma tentativa em vão. Quando me perguntam sobre ele, falo como se fosse alguém que morreu no meu passado, mas que no meu peito se faz tão presente tanto quanto em minha mente. É difícil e a esta altura do texto, meus olhos já estão cheios d'água, e a cada nova manhã que o sol nasce eu tento não pensar que é mais um dia distante, com o corpo e alma gritando VOLTA! É tão fácil enganar as pessoas dizendo que não sinto nada, quando em mim habita um furacão de sentimentos, que me corroem a cada segundo de saudades. E quando a noite chega, a vontade de enviar uma mensagem me rasga ao meio, e quando o faço, sou ignorada, me fazendo perceber que é melhor sofrer por dentro, que expor sentimentos a quem não te ama mais. Poxa Deus, te peço baixinho todos os dias "porque ele não pode voltar pra mim?" mas parece que tu não me escutas, e se não é pra ser, porque não tiras do meu coração? Sabe Deus, talvez eu nem esteja te culpando, mais procurando motivos pra acreditar que não seja o fim, então perdoa esse pobre coração despedaço, perdoa também meu coração gritando essa  saudade, dizendo pra onde quer voltar. E como é torturante viver como se dentro de você fosse oco, e você procurasse qualquer retalho pra sentir que esta se enchendo de algum motivo que te faça viver.

E se caso um dia você consiga ler este meu desabafo, fique sabendo que todas as vezes que te procurei, eu quis me jogar nos seus pés e dizer que não iria embora da sua vida tão fácil assim, que eu não teria motivos pra viver sem você, e que pode parecer exagero pra você, e eu sei que você odeia exageros, eu só não queria ouvir mais uma vez da sua boca o quanto você não me faz bem, ou que eu mereço algo melhor, porque eu não quero outra pessoa, será que é difícil de entender? Me desculpa se eu não fui forte o suficiente e desisti de viver um pouquinho cada dia que passei e passo sem você, e eu não sei até quando posso aguentar, mais promete que não vai me apagar da sua vida, nem o pouquinho que resta de mim em você? Eu agora preciso ir, pois nessa hora as lágrimas saem frenéticas e eu sequer consigo controlar o soluço em meio ao choro, e hoje preciso te ligar mais uma vez, mesmo com o número desconhecido, só pra ouvir sua voz dizendo alô e desligar logo depois, só pra não esquecer o timbre da sua voz.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016


Os relacionamentos, assim como a vida, é feito de ciclos. Enquanto uns começam, outros terminam, alguns põe reticências, outros uma vírgula, mais há  um ponto. O ponto é sempre final. 
Há os que acabam antes mesmo de começar, e os que começam fora de parágrafo, talvez como um título. 
O fim antes do ponto é que se difere.
Alguns amores apenas a morte consegue levar, outros se desfazem diante os obstáculos da vida. E os que se esticam em meio ao cansaço e a luta pra permanecer o amor intacto.
O amor nem sempre acaba, e o fim nem sempre justifica os meios.

S., T.

terça-feira, 14 de julho de 2015


Quando alguém nos promete o mundo, movemos pedras e montanhas por aquele "alguém". Alguém que com o tempo vemos que ao invés da flor que se mostrou a princípio, no final das contas, era apenas espinho.
Ninguém, exatamente ninguém é perfeito. Não busque em alguém, algo que nem mesmo você tem. Desconfie de promessas demais, promessas vazias. Promessas se quebram, junto com elas, o seu coração.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Amor e suas doenças



Sempre fui de aguentar a dor calada, de não expressar o que sentia, até que um médico me disse que eu deveria dizer onde doía e a intensidade da dor em uma escala. Eu o disse que doía, mais não havia remédio que cicatrizasse, nem mertiolate, nem mesmo ir até marte, porque a dor era na alma, e numa escala de 0 a 10, a dor era mil.


Não gosto de meio-termo, ou é ou não é. Não existe meio amor, ou meio amigo. Não existe meio sentimento, ou meia felicidade. Gosto do inteiro, do cheio, de tudo que transborda, se esborra, e esbanja. 


Forçar um amor não-retribuído é como dar murro em ponta de faca: você só se corta mais fundo a cada tentativa. Afinal, ninguém ama por dois.

segunda-feira, 12 de maio de 2014


Por mais que saibamos que iremos perder as pessoas um dia, nunca estamos realmente preparados pra isso. Qual o sentido de viver pra morrer e morrer por nada em si? Talvez aja algum sentido, mais o sentido da vida, é, e sempre será pra frente.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013



Você procura alguém pra substituir esse vazio que carrega no peito, e tapar as feridas que a vida te deixou. Procura alguém incansavelmente, como quem procura água em meio ao deserto. Mais esquece que você não é feito de metade, e não precisa de alguém que te preencha,precisa apenas de um amor que te transborde.

sábado, 2 de novembro de 2013


Não adianta querer abrir os olhos como se tudo não houvesse passado de um sonho, se quando você levanta, é um pesadelo o que você vive.


Esse abismo em que eu me encontro agora
não foi você quem deixou, fui eu mesmo que cavei,
porque de alguma forma, achei que você fosse cair ao meu lado.